Resumo do Relatório do Projecto de Estudo de Segurança de Radiação Electromagnética em Macau 2020

Com o uso extensivo dos smartphones de Macau na vida quotidiana, o serviço de dados móveis tornou-se o principal serviço de telecomunicações. Em Junho de 2020 o consumo de dados móveis locais atingiu 3.646 TB, registando uma taxa de crescimento anual de 28,9% nos últimos dois anos. Devido ao aumento da taxa de penetração dos telemóveis, a população está cada vez mais preocupada com a segurança radiológica das estações base de telecomunicações móveis, e o Governo convidou a Universidade de Macau, em 2006, 2007, 2012 e 2016, respectivamente, para efectuar um estudo sobre a segurança da radiação electromagnética de radiofrequência das estações base de telecomunicações móveis. De acordo com vários estudos anteriores, os níveis de radiação das estações base de telecomunicações móveis de Macau estão em conformidade com as normas de segurança da Comissão Internacional para a Protecção contra Radiações Não Ionizantes (ICNIRP).

Tendo em consideração o desenvolvimento das tecnologias de comunicação móvel, a rede 5G e os seus serviços comerciais foram lançados gradualmente em todo o mundo, e uma vez que os operadores de telecomunicações móveis de Macau iniciaram a implantação da rede 5G, aumentando o número de equipamentos (estações base, antenas, etc.) de telecomunicações móveis instalados pelos operadores em diversas zonas de Macau, a Direcção dos Serviços de Correios e Telecomunicações (CTT) considera que é necessário proceder a uma nova avaliação do ambiente de radiação electromagnética em Macau, pelo que, em 2020, encarregou à “UMTec Limited” da Universidade de Macau um projecto de estudo de segurança de radiação electromagnética em Macau.

O estudo foi realizado em 151 locais públicos de Macau, com base nos métodos de medição e as normas de segurança de radiação não ionizante constantes das directrizes da ICNIRP de 2020, onde se procedeu à medição da radiação electromagnética não ionizante emitida pelas estações base de telecomunicações móveis 3G, 4G e 5G em Macau.

De acordo com o estudo, dos 151 pontos de medição seleccionados, 134 dos pontos de medição (88,7%) apresentam uma intensidade de radiação electromagnética não ionizante de apenas 0,5%, dentro do limite previsto nas normas de segurança de radiação não ionizante definidas pela ICNIRP; 14 dos pontos de medição (9,3%) entre 0,5% e 2,5% do limite padrão e 2 dos pontos de medição (1,3%) entre 2,5% e 5% do limite padrão; apenas em 1 dos pontos de medição (0,7%) regista-se 25,529% do limite padrão. Os resultados indicam que a intensidade da radiação electromagnética em todos os pontos de medição está bem abaixo do limite previsto nas normas de segurança de radiação não ionizante definidas pela ICNIRP, reflectindo que a intensidade geral de radiação electromagnética do ambiente de Macau encontra-se num nível baixo.

O relatório de estudo fez também comparações sobre o ambiente de radiação electromagnética em Macau entre 2020 e 2016; devido ao desenvolvimento do sector das telecomunicações nos últimos anos, o espectro 4G expandiu-se, e com a implantação preliminar da rede 5G, no presente estudo, verificou-se um ligeiro aumento da intensidade geral de radiação electromagnética do ambiente de Macau em comparação com 2016. No entanto, em geral, a intensidade de radiação electromagnética produzida pelas estações base de telecomunicações móveis continua a ser baixa, sendo que a intensidade de radiação electromagnética em todos os pontos de medição corresponde às normas de segurança da ICNIRP. De acordo com as directrizes da ICNIRP, a radiação não ionizante de intensidade inferior ao limite previsto nas normas de segurança não constituirá um impacto negativo na saúde pública.